5 lições que os diretores escolares podem aprender com a pandemia

As escolas que encontramos nos dias de hoje estão sem diretores! Identificamos que esse agente essencial nas escolas estão com pouco carisma, força e relevância no cenário atual devido a sua falta de protagonismo.


Entendemos que a sua ausência vem da padronização das operações e dos processos dentro da escola. E isso faz com que as escolas fiquem cada vez mais parecidas e isso requer apenas um gerente operacional e não mais um diretor.


As instituições de ensino precisam de um diretor que seja dono da estratégia e dono da narrativa institucional. Temos o costume de falar que os alunos precisam ser protagonistas, mas os diretores também precisam ocupar essa posição..


Para falar mais sobre esse tema, trouxemos 5 lições que os diretores precisam aprender com a pandemia.


1. A tecnologia conquistou um lugar de valor dentro das escolas

A tecnologia nas escolas começou a ser implantada com os laboratórios de informática para os alunos e aos poucos foi conquistando mais espaço dentro do cenário escolar. Ela passou para dentro da sala de aula e, atualmente, temos o ensino remoto como o seu maior expoente.


Por muito tempo, acreditou-se que os dispositivos móveis poderiam distrair os alunos e influenciar no seu processo de aprendizagem. No entanto, começamos a perceber que a tecnologia poderia ser um meio de aprendizagem.


Com a necessidade de realizar o isolamento social, vimos que os alunos podem aprender por meio do computador, celular, e-book e plataformas digitais. E isso fez com que o mundo digital se tornasse um espaço para o aprendizado.


Temos falado muito do ensino híbrido, como o novo estado da escola após a pandemia. E entendemos que nesse novo contexto, os gestores precisarão saber como lidar com os alunos, professores e demais funcionários que poderão estar presentes e ausentes nesse momento.


2. As mudanças podem ocorrer de forma muito rápida

As escolas estão acostumadas com ter o ano escolar totalmente planejado e a pandemia veio para mostrar que mudanças podem acontecer e que podem acontecer de forma rápida.


No começo do isolamento social, as escolas não sabiam o que fazer. Era um contexto muito novo. Aos poucos, as instituições foram encontrado o caminho a ser seguido e muitas encontraram uma saída nas aulas online.


O uso da tecnologia que ficava restrito aos laboratórios de informática ou ao uso do professor passou a ser o meio utilizado para dar continuidade às atividades escolares.


A novidade sempre pode causar uma mudança nos contextos e o mais importante é que temos que estar prontos para esse momento e aproveitar para aprender.


3. A criação de uma REDE de conexão entre os gestores

Na pandemia, percebemos que as instituições estavam sofrendo pressões por todos os lados, dos pais, funcionários, alunos e demais órgãos da área. As escolas se encontraram em um momento em que tudo que elas haviam feito estava correndo riscos.


As escolas que já trabalhavam em conjunto aprenderam a suportar isso de uma melhor forma. Por meio dessa busca por apoio em uma rede de conexões, conseguimos perceber que os gestores passaram a compartilhar e trocar mais informações.


O que identificamos é que existe um grupo de escolas que está tentando sobreviver a este período, discutindo todos os dias, criando a urgência de pensando no que fazer nesse novo contexto. Isso mostra a caminhada em conjunto desses gestores para conseguir formar estratégias para enfrentar esses novos desafios.

4. Os gestores e diretores precisam dominar a narrativa escolar

A narrativa é uma expressão muito nova e ao mesmo tempo muito antiga no nosso cenário. Essa palavra está presente no ramo empresarial, porque se fala em narrativa o tempo todo.


Por isso, que destacamos que é importante pensar: que história essa escola conta? Que história o diretor da escola quer contar?


A narrativa é sobre que história o diretor quer contar sobre a sua escola, de onde a escola vem e para onde ela vai caminhar. É importante que os gestores saibam apresentar essas informações, pois é por meio delas que eles vão conseguir reafirmar os valores que a empresa quer passar.


E com as mudanças ocorrendo no cenário educacional, sabemos que mais do que saber contar sobre a história da escola, os diretores precisam saber contar para onde a escola vai! É por meio do planejamento que os gestores vão direcionar a sua escola nessa nova caminhada.


5. Os gestores precisam ser multidisciplinar

Os diretores escolares têm que dominar todas as áreas que dizem respeito a escola. Eles têm que se movimentar com tranquilidade e com fluidez tanto na área pedagógica, como na tecnologia, gestão, finanças e da narrativa escolar.


O período de isolamento social obrigou os gestores a tomarem decisões delicadas e importantes. E, nesse caso, percebemos como o ensino híbrido, remoto, é uma dessas realidades que os diretores precisam aprender a lidar.


O risco de não fazer nada na pandemia é maior do que o risco de fazer alguma coisa errada. O diretor tem que ter a capacidade de observar este cenário e pensar “eu preciso fazer, eu preciso propor, eu preciso testar, eu preciso enfrentar o que está acontecendo”.


Se você fica quieto, esperando o que o outro faz, o que a realidade nos demanda ou o que os pais indicam, vocês podem acabar não fazendo nada.


Agora, o risco não é de criar uma escola pouco interessante e o risco é de morrer. O que passa de ser uma discussão de conservadorismo, passa a ser uma discussão de ousadia.


O que você tirou de aprendizado dessa pandemia? Assista ao nosso webinar e entenda mais sobre a importância do diretor escolar.


0 comentário

Inscreva-se agora mesmo!

Receba conteúdos como este  diretamente no seu e-mail!

Obrigado pelo envio!