A importância da parceria família e escola

Um dos maiores desafios entre a família e a escola é como romper com a distância entre esses dois agentes que têm muita importância na formação dos filhos e alunos. identificamos que essa relação é muito passiva e os pais ou responsáveis vão às escolas apenas para acompanhar o desenvolvimento dos estudantes.


A nossa proposta é que precisamos muito mais do que isso! Por isso, falamos que existem muito mais coisas para serem feitas com essa relação entre as famílias e as escolas.


É preciso redesenhar esse cenário!


Separamos alguns pontos que você não pode deixar de acompanhar se você quer revolucionar o contato da sua escola com as famílias dos alunos.


1. Entenda como é a participação da família e na sua escola

Como a sua escola se relaciona com as famílias? As famílias dos seus alunos vão para a escola fazer o que?


Você precisa mapear quais são as atividades que a sua escola convida as famílias para fazer e depois reflita! Imaginamos vocês só convidam os pais para assistir algum evento ou ouvir algum relato dos professores.


Isso faz com que o essa relação seja passiva e as famílias não têm vontade de participar daquilo, porque eles não têm nenhuma ação. Esses eventos são montados para mostrar o que a escola quer que os pais vejam.


Depois de entender qual é essa relação com as famílias, você encontrará quais são os caminhos pelos quais você deve percorrer para mudar esse cenários.


2. Aprenda a lidar com o erro

Sabemos que as escolas não aceitam os erros e focam apenas na cultura do acerto. Mas dizemos que as elas precisam aceitar o erro dos alunos, porque é isso que permite que os alunos tenham a oportunidade de tentar e desenvolver a criatividade.


Além das escolas, as famílias também têm esse trabalho de aceitar que o filho cometa os erros. O que percebemos é que muitos pais acabam fazendo os deveres dos filhos, porque eles não querem que os filhos errem. E isso impede que a escola saiba quais são as dificuldade dos alunos.


Por isso, reforçamos que as famílias e as escolas deixem que as crianças errem para que elas mesma tomem consciência desse processo. O papel do professor é orientar os alunos a encontrar a aprendizagem e não atuar como o único detentor de conhecimento.


Além de aceitar que os alunos cometam erros, também, afirmamos que as os gestores e os pais têm que reconhecer que eles também podem cometer erros. E que está tudo bem, o erro é uma oportunidade para repensar o que estamos fazendo.


3. Crie um diálogo com as famílias

Para criar um relacionamento com as famílias, as escolas precisam criar um canal de diálogo com elas. E esse canal não pode ser unidirecional, ou seja, com as escolas enviando a mensagem e as famílias consumindo a informação sem dar uma resposta.


As escolas precisam criar um canal que seja aberto para as famílias interagirem com ela. Para começar esse processo, as escolas precisam entender quais canais as famílias mais utilizam e começar a ocupar esse espaço.

Separamos algumas sugestões de meios em que isso pode acontecer:

  • perfis em redes sociais;

  • site da instituição;

  • e-mail;

  • grupos no whatsapp ou telegram;

  • aplicativo da escola.

Faça uma pesquisa com as famílias e perceba por quais canais vocês podem criar essa comunicação e apresente para o público por onde eles podem entrar em contato com a instituição.


4. Desenvolva atividades que aproximem as escolas e as famílias

Depois de identificar qual o problema da relação com as famílias e como criar um canal de comunicação com eles, os responsáveis das escolas precisam promover essa ponte.


Sugerimos que vocês não apresentem programações prontas e estruturadas para as famílias, chamem eles para integrar as atividades das escolas em conjunto com as crianças. A intenção é promover uma troca de experiências nesse processo.


Uma atividade legal é chamar os pais ou responsáveis para falar de coisas que eles gostam de fazer, das suas profissões ou para participar de gincanas. Esse exercício é bem interessante, pois integra os pais em uma atividade que permite que eles tenham alguma ação.


As famílias e as escolas são responsáveis pela formação dos alunos, por isso elas não podem se manter separadas ou ficar como inimigas. Existem diversas formas de criar esse relacionamento, o que as escolas precisam fazer é entender por qual caminho percorrer.


Como a sua escola se relaciona com as famílias dos alunos? Siga nossa páginas no Facebook e Instagram e veja mais conteúdos sobre esse assunto.


0 comentário

Inscreva-se agora mesmo!

Receba conteúdos como este  diretamente no seu e-mail!

Obrigado pelo envio!