Como repensar a avaliação escolar?

A avaliação escolar em tempos de pandemia é um assunto que tem tirado o sono dos professores, diretores e coordenadores. E muitos estão se perguntando “como avaliar em tempos de ensino remoto?”.

Esse questionamento é unânime, mas as respostas não são tão parecidas assim. Levar a aula para o ambiente online fez com que muitas escolas tivessem que sair da sua caixinha, da zona de conforto e buscar alternativas para transformar a sua forma de ensinar e, também, de avaliar.


E é pensando nessa necessidade de repensar a forma como avaliamos nossos alunos, que resolvemos trazer esse texto para você!


O que é avaliação?

A avaliação é a checagem do processo de aprendizagem dos alunos. É quando o professor observa em qual momento os estudantes se encontram no caminho para chegar ao objetivo pedagógico.


É durante a avaliação que conseguimos observar os dois lados, o do professor e do aluno. No caso do docente, é possível observar se a sua intervenção está conquistando os resultados desejados. No caso dos discentes, percebemos como os alunos estão aprendendo e se eles chegaram até a expectativa do professor.


A aprendizagem é um processo e os estudantes não podem ser definidos pelo resultado de apenas uma avaliação. O ideal é entender como eles vão construindo todo o seu raciocínio e aprendizagem ao longo dos estudos.


É possível repensar a avaliação escolar?

O período da pandemia deixou claro que a escola como estávamos acostumados precisava mudar. A busca pelo estabelecimento de uma rotina, atividades e canais de comunicação online fez com que as escolas percebessem isso.


Com a forma de avaliar não seria diferente. Essa palavra se remete a testagem do conhecimento, mas será que ela realmente mostra se o aluno aprendeu ou não?


Quando as escolas testam as habilidades cognitivas dos alunos, vemos que eles são colocados em duas posições, a primeira é de recordar toda a informação ou recorrer às famosas “colas” para ajudar a desenvolver as questões. E isso é a forma errada de entender a aprendizagem dos alunos.


O ideal não é tirar a prova, mas sim transformá-la em uma algo em que o aluno seja estimulado a refletir sobre aquelas questões. E não resolvê-las de uma forma mecânica.


Quais os principais erros que as escolas cometem?

Ao reestruturar a forma como a sua escola avalia os alunos, vocês precisam entender em qual contexto elas estão inseridas. O que percebemos é que muitas instituições tentaram recriar o ambiente da sala de aula no espaço do online. E é claro que isso resultou em mais trabalho.


Ao levar a aula presencial para o vídeo, estamos deixando os alunos no mesmo estado de passividade que eles se encontravam antes do ensino remoto. Além da distância, eles agora têm outro recurso que é desligar as câmera e colocam mais uma barreira de contato.


Outro ponto é que as avaliações são utilizadas como uma forma de controlar o comportamento dos alunos. Assim, o professor afirma que aquele conteúdo irá cair na prova. Ao criar essa condição, o aluno não aprende porque ele quer, mas sim porque esse conhecimento será cobrado posteriormente.


Quais são as alternativas para avaliar no ambiente digital?

A partir dessa experiência do ambiente online, entendemos que as escolas precisam desenvolver uma cultura digital e não na digitalização do que acontece no analógico. Ou seja nas transformações das aula em vídeo, aplicar provas objetivas, etc.


A avaliação serve para entender se os alunos têm a compreensão dos conteúdos, mas já pensou que existem outras formas de avaliar que não sejam apenas as provas objetivas?


O ambiente digital abre espaço para que as escolas inovem nos seus exercícios. A proposta é pensar em formas de avaliar os alunos e que, ao mesmo tempo, os incentive a aprender.

Pensando nessas novas possibilidades, sugerimos que os alunos sejam incentivados a criar podcasts, gravar vídeos, escrever resenhas opinativas, participar de debates e criar blogs e demais atividades que possam ser feitas no ambiente digital.


Essas atividades se aproximam mais da realidades dos estudantes, pois eles já convivem nesse ambiente digital. E ao criar alguns desses produtos, vocês estão incentivando que eles estudem e reflitam sobre os temas.


Sair do padrão engessado estimula os professores, alunos a buscarem novas formas de aprender. As avaliações escolares não precisam ser pensadas como forma apenas de medir o conhecimento cognitivo dos alunos. É possível criar estratégias para fazer com que esse exercício seja algo significativo para todos os jovens.


Você entendeu como é possível transformar a avaliação escolar em tempos de ensino remoto? Quer saber mais? Clique aqui e assista ao nosso webinar completo!


0 comentário

Inscreva-se agora mesmo!

Receba conteúdos como este  diretamente no seu e-mail!

Obrigado pelo envio!