O corpo na escola: como as escolas podem incentivar os alunos a desenvolver o seu corpo?

Com o avanço do sistema educacional, vamos perdendo a criança como um todo. A criatividade, o desenvolvimento corporal e das habilidades socioemocionais perdem espaço na formação dos alunos para as habilidades cognitivas. Então como podemos formar alunos que sejam mais integrais?

Quando falamos em formação integral, referimos ao desenvolvimento de forma igualitária sem que nenhuma delas seja mais contemplado que o outro. E esse desenvolvimento também contempla o corpo dos alunos.


Quer entender a importância de desenvolver o corpo dos alunos nas escolas? Continue lendo esse texto e fique por dentro do assunto.


Por que é importante envolver o corpo na formação dos alunos?

Os alunos têm várias dimensões e uma delas é o corpo dos alunos. Como as habilidades cognitivas, os corpos também precisam ser desenvolvidos dentro da esfera escolar.


Quando falamos no corpo na escola, muitos podem se lembrar das aulas de educação física. No entanto, o corpo não é utilizado apenas nos exercícios dessa disciplina.


Os nossos corpos são os nossos primeiros instrumentos de aprendizagem. É por meio desse contato que começamos a perceber o mundo que está ao nosso redor. E as escolas têm que aprender a explorar esse conhecimento e forma de aprendizagem.


Além disso, a nossa estrutura também é responsável por comunicar com as outras pessoas, o que estamos sentindo. Essa manifestações podem vir através das posturas, choros, expressões, etc.


Por que as escolas têm dificuldade de colocar o corpo no centro?

Ken Robinson afirma que as apenas no desenvolvimento do Hemisfério Esquerdo dos alunos. É nesse lado que estão as conhecidas habilidade cognitivas dos alunos.


As outras esferas do corpo são deixadas de lado por serem consideradas menos importantes para a formação dos alunos. No entanto, precisamos entender que somos seres integrais e que todas as esferas do nosso corpo estão interligadas.


O principal desafio das escolas é entender a importância dos corpos e criar uma grade curricular que foque no desenvolvimento dessa estrutura física. Até mesmo para desenvolver as atividades que exigem raciocínio, o corpo precisa estar bem treinado para conseguir ter o melhor desempenho.


Como adotar as atividades fazem os alunos se conectarem com seus corpos?


Nossa proposta é que a escola repense o lugar do corpo no seu ecossistema. Não adianta ter uma escola tão localizada na cabeça e no racional. Precisamos recuperar o corpo mais amplo, mais complexo, diverso, sutil, polissêmico, expressivo e comunicacional.


Existem algumas modalidades que podemos focar para desenvolver o corpo e o Hemisfério Direito dos alunos, que são artes plásticas, dança, música e teatro. Os gestores escolares não tem que focar apenas no que os alunos e os pais querem. É preciso agregar essas disciplinas no currículo e mostrar o retorno que isso vai trazer para os alunos.


As escolas precisam focar na criação de uma cultura que apresenta o quão importante essas atividades são para o desenvolvimento dos alunos como um todo. É preciso ter claro quais os benefícios dessas atividades e defender que elas têm a mesma importância que português e matemática.


É preciso ter claro que os corpos também fazem parte da formação dos alunos. Os gestores escolares são responsáveis por propor essa mudança.


Quer saber mais? Assista ao nosso webinar completo e entenda como podemos colocar o corpo na escola.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Inscreva-se agora mesmo!

Receba conteúdos como este  diretamente no seu e-mail!

Obrigado pelo envio!